Bom Dia,

 Senhores(as) Revendedores(as), informamos que já esta em vigência desde 23 de Março de 2016 nossa nova tabela de preços atualizada.
Muitas novidades e preços nesta nova edição! Produtos que muitos revendedores tinham necessidade de vender no mercado, agora estão sendo atendidos, todos os produtos tiveram reajuste.
Pedimos para que entrem em contato com a unidade de sua região para solicitar a versão digital“.

Desde já agradecemos a parceria que juntos formamos.

Ótimas vendas!!!

Equipe A Casa do Cartão®.

Sejam bem vindos!

Sejam bem vindos ao nosso blog.

Aqui vocês terão toda informação que precisam para comprar em nossas lojas on-line, garantindo a melhor qualidade e mantendo o padrão, permanecendo cobertos pela garantia de cada produto adquirido conosco.

Utilizem as informações aqui publicadas e aumentem seus conhecimentos e garantam um conhecimento maior para sua carreira.

Agradecemos desde já e desejamos uma ótima leitura.

Links de leituras complementares postadas aqui em nosso blog pode conter tutoriais que alteram o sistema operacional ou o sistema de trabalho de design.

Chamamos a atenção de todos que alguns tutoriais devem ser seguidos com consciência e sabedoria. Portanto, ao seguir qualquer tutorial que esteja fora de nosso domínio, esteja  ciente das alterações e sempre mantenha um backup, ou ponto de restauração de sistema operacional ativo.

Boa Tarde,

Senhores revendedores, conforme solicitação de muitos por novos modelos de calendários de mesa. Estamos disponibilizando a partir de hoje este modelo para que possam lucrar ainda mais com nossa gama de produtos.

Solicite ao gerente de sua unidade o gabarito para download e desejamos a todos uma excelente semana de vendas.calendario_porta_card_caneta_blog

 

 

Gabaritos

Agora, com todos os arquivos revisados, estamos disponibilizando o link para o download da pasta completa de gabaritos dos produtos divulgados em nossa tabela de preços.

Esperamos que esses arquivos possam auxiliar vocês no desenvolvimento de artes finais, reduzindo, assim, problemas com acabamento de corte e deixando nosso produto com ainda mais qualidade.

Ao descompactarem os arquivos, que estão dentro do zip, estarão disponíveis arquivos .cdr na versão 11 e também em .eps, possibilitando sua utilização em diversos softwares.

Importante: Quando utilizarem este arquivo .eps em outro software, será criado um grupo de linhas que identificam as delimitações necessárias para data item em sua arte final. Ao final da utilização e desenvolvimento é necessária a exclusão dessas linhas, uma vez que não faremos alterações em suas artes finais.

No caso de arquivos em .cdr as linhas guias não serão impressas, não havendo necessidade de serem excluídas.

Os comentários desta postagem servirão para registrarem suas dúvidas e críticas, que serão devidamente respondidas através de e-mail.

Desde já agradecemos a sua visita.
Desejamos a todos ótimas vendas.

Botão de Download

Calendário 2016_blog

Calendário 2016

Bom Dia leitores.

Ano passado tivemos a iniciativa de disponibilizar para uso de todos um calendário pronto para que vocês possam agilizar o desenvolvimento e assim, fortalecer as vendas de calendários não perdendo tempo com o básico do desenvolvimento.

Este ano consideramos todos os pedidos que tivemos em disponibilizar os arquivos para outros softwares, e não deixar apenas com o Corel Draw a tarefa de editar a imagem que dará sequencia no pedido que farão conosco.

O arquivo .zip disponível para download deste ano, contem 6 arquivos, são eles:
Corel Draw (2)
Um editável e outro em curvas.
Estes arquivos estão disponíveis da versão 11 acima.
Encapsuled Post Script
Para importação em outros editores vetoriais.
Adobe Photoshop
Este arquivo não terá todas as camadas editáveis, por se tratar de um arquivo de exportação em imagem que fizemos. Pois nosso desenvolvimento é padrão em Corel Draw e ficamos limitados a criações de camadas abertas em Photoshop.
Imagens .TIFF e .JPEG
Mais duas imagens de alta resolução para importarem em vários softwares de edição.

Com esses arquivos, será possível todo designer processar suas artes finais agilizando o processo de desenvolvimento, já no padrão necessário de envio de arquivo para A Casa do Cartão.

Dúvidas e sugestões são sempre bem vindas para que nossa evolução aconteça.

Obrigado a todos que participaram em 2015 com comentários de elogio e até mesmo críticas. Contamos com sua participação agora para que o calendário de 2017 venha com mais e melhores inovações.

Botão de Download

 

 

Autor: Bruno Diego Naressi

Orientações importantes

Olá, Revendedores da nossa equipe Curitiba/PR.

Estamos enviando hoje um IMPORTANTE e-mail com novos procedimentos
que estará auxiliando vocês e melhorando nosso relacionamento diário.

Dúvidas frequentes que muitos revendedores tem em relação a quais informações devem conter no e-mail foram relacionadas, deixando de uma forma clara o que deve conter ao efetuar seus pedidos. Deixando assim o pedido mais completo e evitando produções erradas de arquivos enviados.

Também neste e-mail disponibilizamos os contatos de Skype, para que possam solicitar informações via web com mais eficiência.

Esperamos que esse e-mail seja bem recebido por vocês e que ele ajude a melhorar nosso relacionamento assim reduzindo as chances de atrasos e erros em seus pedidos.

Caso não recebam este e-mail segue o link para acesso direto em nosso site.
http//:www.acasadocartaocuritiba.com.br/news/procedimentos

IMPORTANTE: ESSAS REGRAS SÃO APLICADA APENAS A LOJA CURITIBA/PR
e-mails e contatos das lojas em outras localidades você encontrará no menu do site.

A História do Cartão de Visita

Em 16 anos como profissional de Design Gráfico, sempre pesquisei a origem e como utilizar corretamente cada impresso que nossa empresa produz, e ter um conhecimento dentro da área, para estar sempre bem informado sobre a minha profissão e os produtos que a compõe.

Um dos textos mais completos que encontrei em pesquisas Google foi de um profissional chamado “Ary Portal” que ao final do texto me levou a um site americano com uma matéria em inglês sobre a história do nosso famoso “Cartãozinho de visita”.

O texto é bem completo e vale a pena ler e ficar por dentro dessa história…

O texto diz o seguinte:

Continue lendo A História do Cartão de Visita

Cores rgb.

Cores RGB

RGB é a abreviatura do sistema de cores aditivas formado por Vermelho (Red), Verde (Green) e Azul (Blue). O propósito principal do sistema RGB é a reprodução de cores em dispositivos eletrônicos como monitores de TV e computador, “datashows”, scanners e câmeras digitais, assim como na fotografia tradicional. Em contraposição, impressoras utilizam o modelo CMYK de cores subtrativas.

O modelo de cores RGB é baseado na teoria de visão colorida tricromática, de YoungHelmholtz, e no triângulo de cores de Maxwell. O uso do modelo RGB como padrão para apresentação de cores na Internet tem suas raízes nos padrões de cores de televisões RCA de 1953 e no uso do padrão RGB nas câmeras Land/Polaroid, pós Edwin Land.

Funcionamento

Modelos aditivos de luzes são combinados de várias maneiras para reproduzir outras cores. O nome do modelo e a abreviação RGB vêm das três cores primárias: vermelho, verde e azul (Red, Green e Blue, em inglês), e só foi possível devido ao desenvolvimento tecnológico de tubos de raios catódicos – com os quais foi possível fazer o display de cores ao invés de uma fosforescência

Estas três cores não devem ser confundidas com os pigmentos primários Ciano, Magenta e Amarelo, conhecidos no mundo das artes como “cores primárias”, já que se combinam baseadas na reflexão e absorção de fótons visto que o RGB depende da emissão de fótons de um componente excitado a um estado de energia mais elevado (fonte emissora, por exemplo, o tubo de raios catódicos).

O modelo de cores RGB, por si só, não define o que significa “vermelho”, “verde” ou “azul” (espectroscopicamente), e então os resultados de misturá-los não são tão exatos (e sim relativos, na média da percepção do olho humano).

O termo RGBA é também usado, significando Red, Green, Blue e Alfa. Este não é um modelo de cores diferente, e sim uma representação – uma vez que o Alpha é usado para indicar transparência. Em modelos de representação de cores de satélite, por exemplo, o Alpha pode representar o efeito de turbidez ocasionado pela atmosfera – deixando as cores com padrões mais opacos do que seria a realidade.

O sistema RGB e os ecrãs/as telas do computador

Uma aplicação comum do modelo de cores RGB é o ecrã/tela do computador ou display ou na televisão a cores em um tubo de raios catódicos, de cristal líquido ou de plasma, como televisões ou monitores de computador. Cada pixel na tela pode ser representado no computador ou na interface do hardware (por exemplo, uma “placa de gráficos”) como valores para vermelho, verde e azul. Esses valores são convertidos em intensidades ou voltagens via correção-gama, para que as intensidades procuradas sejam reproduzidas nos displays com fidelidade.

Por usar uma combinação apropriada para as intensidades de vermelho, verde e azul, muitas outras cores podem ser representadas. Um adaptador de display típico do ano de 2007 utiliza até 24 bits de informação para cada pixel. Geralmente, a partição é de 8 bits para cada uma das cores (vermelho, verde e azul), dando um alcance de 256 possíveis valores, ou intensidades, para cada tom. Com este sistema, mais de 16 milhões (16.777.216 ou 256³) diferentes combinações de tons, saturação e brilho podem ser especificados, mesmo que não sejam facilmente distinguidos.

Representação numérica

Uma cor no modelo de cores RGB pode ser descrita pela indicação da quantidade de vermelho, verde e azul que contém. Cada uma pode variar entre o mínimo (completamente escuro) e máximo (completamente intenso). Quando todas as cores estão no mínimo, o resultado é preto. Se todas estão no máximo, o resultado é branco.

Uma das representações mais usuais para as cores é a utilização da escala de 0 à 255, bastante encontrada na computação pela conveniência de se guardar cada valor de cor em 1 byte (8 bits). Assim, o vermelho completamente intenso é representado por 255, 0, 0.

  • Branco – RGB (255,255,255);
  • Azul – RGB (0,0,255);
  • Vermelho – RGB (255,0,0);
  • Verde – RGB (0,255,0);
  • Amarelo – RGB (255,255,0);
  • Magenta – RGB (255,0,255);
  • Ciano – RGB (0,255,255);
  • Preto – RGB (0,0,0).

Outro sistema adaptado é o tipo numérico real. Valores decimais para definir tons da cor. São eles utilizados da seguinte forma RGB(0.554,1,0.200) o que gera a cor verde-limão.

Nos programas de edição de imagem, esses valores são habitualmente representados por meio de notação hexadecimal, indo de 00 (mais escuro) até FF (mais claro) para o valor de cada uma das cores. Assim, a cor #000000 é o preto, pois não há projeção de nenhuma das três cores; em contrapartida, #FFFFFF representa a cor branca, pois as três cores estarão projetadas em sua intensidade máxima.

As cores são complementares às do sistema CMYK – Ciano (Cyan), Magenta (Magenta), Amarelo (Yellow) e Preto (blacK/Key) – e a sua mistura forma a cor branca.

Fonte: Wikipédia

Gabaritos: Definição e utilização.

Desenvolvemos gabaritos para todos os produtos que vendemos em nosso site, eles são úteis para orientar e garantir a qualidade dos impressos.

Através deste tutorial iremos especificar o que cada um deles tem por padrão, e os significados de cada linha guia utilizada para identificar as necessidades de produção.

Linhas Guia

As linhas guia vão orientar onde deve estar cada item em seu design, para que no final do acabamento seu impresso fique como você planejou.

Elas estão classificadas em três cores, Vermelhas, Verdes e Azuis Ciano.

1ª – Linhas Guia, Vermelhas:
Elas delimitam o tamanho total de sua arte final, já incluído o setor de sangria do design. Enviar o fundo maior é desnecessário, uma vez que as próximas linhas guia já delimitam com proximidade onde será o corte de acabamento.

Imagem do gabarito de cartão de visita com as linhas guias definindo o tamanho final do design.
Imagem do gabarito de cartão de visita com as linhas guia, definindo o tamanho final do design.

2ª – Linhas Guia, Verdes
Elas delimitam o local máximo de onde a lamina de corte poderá atingir. Lembramos que essas linhas guia, não define, exatamente onde o corte será atingido, sim que o corte terá o limite nela.

Imagem do gabarito de cartão de visita com as linhas guias definindo a proximidade de onde será o corte de acabamento.
Imagem do gabarito de cartão de visita com as linhas guia, definindo a proximidade de onde será o corte de acabamento.

O espaço que se inicia nas linhas guia, vermelha e finaliza nas linhas guia, verde, é conhecido como “margem de sangria“, um local variável de onde o corte de acabamento finalizará.

Veja esta imagem abaixo:

Imagem do gabarito de cartão de visita com a área de sangria em destaque.
Imagem do gabarito de cartão de visita com a área de sangria em destaque.

3ª – Linhas Guia, Azuis Ciano
Elas delimitam o local máximo onde o texto deverá estar posicionado para não acontecer de ser cortado no momento do acabamento.

Imagem do gabarito de cartão de visita com as linhas guias definindo a área de segurança de texto.
Imagem do gabarito de cartão de visita com as linhas guia, definindo a área de segurança de texto.

Veja abaixo a imagem completa do arquivo de gabarito já com todas as linhas guia:

Imagem do gabarito de cartão de visita com todas as linhas guias.
Imagem do gabarito de cartão de visita com todas as linhas guia.

Seguindo todas essas especificações você garante a qualidade de seu design, e o resultado final de seu impresso coberto pela Garantia A Casa do Cartão®.

Aproveitem as dicas e bom desenvolvimento.

Dúvidas e sugestões deixem aqui abaixo uma resposta…